Gd20 – Período Temporal

Saudações!

Gostaria de começar a semana com um assunto bem simples e divertido, que existe em qualquer cenário de RPG: a localização histórica e temporal.Seja qual fora a obra, todos os acontecimentos ocorrem em algum lugar, seja em um calabouço, em uma taverna ou reino – localizações habituais e constantes em seções de Dungeons&Dragons, Tormenta, Forgotten Realms, e jogos do gênero atemporal.

Sempre que se cria uma obra visual ou escrita, o período histórico está subjacente: em Dungeons&Dragons, é uma época atemporal, medieval, onde as armas e tecnologia estão ainda na era do aço e do ferro.Casas ainda são feitas de pedras ou madeira.Já em um livro como O Guia do Mochileiro das Galáxias, a história se passa em um outro período histórico, futurístico, com um alto nível tecnológico; o que lhes permite viajar através de muitos lugares que, em um cenário comum de D&D, nunca seria possível.As armas, outrora feitas de aço e pedra ou ferro, agora são substituidas por armas mais compactas e monstruosamente eficazes.

Portanto, a diferença de período temporal varia conforme a ambientação do cenário que faz parte da história; que está em constante mudança (Ora é uma casa, ora é uma rua, ora um bar, ora um apartamento); e essas mudanças são infinitamente importantes para Galaxium.Então, aqui estão listados os principais pontos no qual o RPG se estabelecerá:

Galaxium passa-se em uma era muito distante na qual hoje vivemos, em uma galáxia absurdamente distante, cerca de dezenove mil anos luz da Terra.Naquela confinação remota, existe vida em abundância; dos mais variados aspectos, em variações físicas e mentais, sendo humanos ou robôs, mutantes ou máquinas movidas à vapor.

A evolução tecnológica é monstruosamente elevada da que aqui evolui em uma velocidade muito inferior e sem vigor.A Galáxia é o seu nome, o nome desta galáxia da qual falamos – onde as aventuras e complicações se passam.Até mesmo o nome escolhido não lhe é nem um pouco imaginativo e ridiculamente gracioso: pois nada se conheçe além d’A Galáxia, pois ela é o maior espaço que até hoje se conheçe.

Algo que será comum neste cenário será a evolução humana, e um dos pontos focados no projeto é como eles pensavam naquela época, com qual o nível de armamento bélico eles lidavam e para qual uso eles o fabricavam.

Guerras entre mutantes e humanos, robôs entre robôs; tudo isso foi comum no começo da primeira Era de Prata, onde ainda se usava o aço e o ferro para as abundantes guerras que naquele período ocorriam.Obviamente, nem tudo é explicado, e o que não é realmente explicado é simplesmente cobrido com a imaginação.Uma pergunta que pode surgir é: se naquela época existiam robôs, porque ainda não existiam pistolas ou canhões?

A reposta deve ser levada ao lado fantástico.Essas questões são explicadas com a imaginação, entre outras coisas.

Conforme os planetas d’A Galáxia evoluíram, espadas e machados foram substituídos por lâminas com corte nanométrico, variando de uma profundidade de corte métrica.A tecnologia evolui, e consigo trouxe as engenhosas e monstruosas naves espaciais, capazes de viajar através da velocidade da luz sem distorções ou alterações de massa; planetas entram em guerra com tecnologia inabalável, cada um confiando em suas pistolas laser e escudos refletores.Todos com sua glória, orgulho, bandeira.Até mesmo as bandeiras naquela época eram feitas com um material parecido ao mercúrio; e quando se viam essas bandeiras ao longe, os desenhos nela entalhados pareciam sair de seus tecidos.Tudo muda.Sentimentos?Rompidos pelo aço e por lâminas destruidoras.Impérios? Tombaram e se levantaram, com lâminas e pistolas.

Things change.The world is fading.The Galaxy is shivering.Get your weapons and fight!Through robots and humans you shall pass, from the gates of the universe the RPG will dice.

Os principais planetas d’A Galáxia, são : Kelskathan, Ravanoc, Carvendûm e Eldaria.

Todos, lutando por uma necessidade inabalável: a busca incansável e ávida por avanço tecnológico e expansão imperial.Aí encontram-se os audaciosos companheiros, aventurando-se pelos abismos sem fim d’A Galaxia.Pelos planetas que passam, ou fazem estupidezes, ou criam alianças; ou iniciam batalhas, ou encerram batalhas.Tudo é um cáos.Tudo deixou à ter sentido.

Ah, também esqueci de dizer que tô pensando em colocar uma raça adicional: monstros.Seriam tipo uns carinhas de quarenta metros, peludos, do mal.E, mais uma coisa: Seu RPG é baseado em Star Wars? É óbvio.Meio clichê.Mas misturado.

Abraços,

Mestre do Véu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s